Março 2011

I know you spent some time
From the town to the city
Looking for a life to start
And when you were fifteen
I know what you said
“I’ll never let another black boy break my heart”

You waited a decade
For me to come find you
There’s never been a chance so rare
I was just stumbling out on a prosthetic love
And there had never been someone so real

This was love
And I was such a tyrant destroyer
As you sat sinking in my head
Love, and I was such a tyrant destroyer
As you sat sinking in my head

As if it wasn’t enough just to hear you speak
They had to give you lips like that
Like all of your sadness reduced to a color
Then painted upon you
How could I forget you
And who was I to think that on a Saturday night
That you would really bike home alone
And the way that I left you
Just hanging on SundaysTwin Shadow
And fair skin boy take you home

This was love
And I was such a tyrant destroyer
As you sat sinking in my head
Love, and I was such a tyrant destroyer
As you sat sinking in my head
Love, and I was such a tyrant destroyer
As you sat sinking in my head
Love, and I was such a tyrant destroyer
As you sat sinking in my head

letra de ‘Tyrant Destroyed’ dos Twin Shadow.

  • Banquete na Galiza, dia em moledo, serão no Dragão. #
  • As segundas-feiras correm sempre muito mal. Já devia isso. #
  • correu 5.33 km no dia 22/3/2011 at 12:53 PM a uma velocidade de 5'37"/km
    http://go.nike.com/62et7nv #
  • Começou a tourada política, com bandarilheiros do FMI quase confirmados. Quem fará a pega de caras? Não serão forcados da Moura de certeza! #
  • Na minha mente está um zumbido permanente. Preciso de uma hora de sono… #
  • correu 5.01 km no dia 24/3/2011 at 12:54 PM a uma velocidade de 5'41"/km
    http://go.nike.com/6jpia4d #
  • #censos2011 formulário online permite que ponha a minha filha que não sabe ler ou escrever (passo anterior) como frequentando o 12º #
  • correu 10.89 km no dia 26/3/2011 at 6:32 PM a uma velocidade de 5'59"/km
    http://go.nike.com/0678s994 #
  • Aqui estamos a comprido religiosamente a hora do planeta. Jantar à luz das velas e a minha filha de lanterna. #

3ª parte – A panela de pressão
ou
Demoras muito FMI?

Passados estes dias e parando o turbilhão de reacções, é bom fazer uma breve acerca de da e impacto da manifestação de 12 Março.

Como se vem dizendo no meu programa de analise favorito, no contraditório há muito que é tema de debate, a crise económica portuguesa, que é estrutural e não conjuntural, a curto ou médio prazo vai gerar mais contestação social. É inevitável. As pessoas perdem o poder de compra, perdem os empregos, as empresas vão à falência, o procura diminui, etc… As questões sociais estão à flor de pele e se as coisas piorarem é como estamos sentados num barril de pólvora…

Por outro lado um estado governamentalizado entra num estado de miopia atroz após uma década de despesismo inqualificável – entra com cortes penalizadores para as empresas e classe pobres e médias. Mas mantém o intuito de financiar obras faraónicas e elefantes brancos, pérolas a porcos e até obras de Santa Engrácia. No fundo somos governados por incompetentes e incapazes, que nos aumentam os impostos e nos retiram os beneficios que o estado nos habituou.

É neste cenário que se afigura mais gravemente a falta de cultura democrática que padece . As manifestações de rua populares – de iniciativa cívica são algo normal nas democracias sérias. Os contestatários unem-se não em volta de bandeiras partidárias e slogans sindicais ou partidários mas sim por iniciativa própria. Não são carneiros-eleitores. Espanha, Itália, França, Grécia e até Alemanha costumam ter manifestações espontaneamente, algumas até mais ou menos violentas. Os cidadãos são esclarecidos e opinativos, não apenas obedientes.

Talvez o dia 12 de Março marque um renovar de convicções apartidárias, um ponto de viragem, que una em torno do bem comum as movimentações e os novos poderes que se avizinham. Talvez um renascimento da fénix nas cinzas da falta de opinião política dos portugueses. Finalmente algo mexeu e vem fazer ondas. O país de brandos costumes pode tornar-se um vespeiro.

Afinal e ao contrario do que muitos que não querem ver, a manifestação de 12 de Março, não era um peditório de malandros que não querem fazer pela . É uma convulsão social, enraizada, o início do assobio da panela de pressão que começou a ferver e está prestes a estourar. 500 Mil desempregados num país de 10 milhões não é sustentável muito tempo sem que caia a compostura e se comessem a virar carros e a pilhar supermercados. Talvez os políticos actuais sejam tão autistas e dormentes de ideias que não se preocupem com isso. Talvez seja o FMI que se vai preocupar com isso…