Maio 2003

Sobranceiro numa sombra perdida,
Não encontro um equinócio nem solstício.
Num jardim onde deambula uma alma partida,
Sem rosas nem jasmins, sem fim nem princípio.

Nessa ausência dolorosa, partilho o medo,
Esqueço que te desejo e busco loucamente
Para além de um limbo apático sem credo,
Numa crença de me fugires amargamente.

Conquista-me a vontade;
Corta minhas raízes profundas;
Bebe da minha verdade!

Realiza meus desejos;
Levanta minhas mãos prostradas;
Dá-me doces beijos!

Glória ou perdição a 300 quilómetros de distancia, numa noite que provavelmente não vai ter tréguas. Saio mais cedo e vou no 130 cavalos (menos alguns, que o raio do turbo-compressor necessita um arranjo caro) com N.. Nos planos queremos ir à grande cidade, recolher a S. e C. que regressam das suas férias africanas, para irmos jantar ao Tia Alice.

Depois é Club Kitten, e já se sabe, quando é Club Kitten tudo vale. A ver se as peripécias não serão demasiadas para uma noite

consilio et animis

Não tenho lido muito ultimamente, mas resta-me o consolo de ter uma bela pilha de livros ao lado da cama, em lista de espera para serem devorados, todos recomendações femininas:

  1. Afirma Pereira“,de Antonio Tabucchi – estou a gostar ler aos poucos este livro sobre uma Lisboa salazarenta, mas vou lendo aos poucos.
  2. Parapsicologia – subversão infinita?” da C.L.A.P Portugal. Recomendado e emprestado pela S. e que estou a saborear deleitado.
  3. Guia de Meditação“, Paramanada. É um livro emprestado pela J., e é decididamente a minha próxima leitura, pois estou cada vez mais interessado na filosofia e maneira de estar oriental.
  4. O Amante de Lady Chatterley“, de D.H. Lawrence. Foi a proposta da I. Para as férias, só que ainda não lhe peguei…
  5. Escala Evolutiva – sistema de Avaliação e Hierarquia da Universidade de Yôga“, Mestre Sé;rgio Santos. O livro está impregnado num cheiro a incenso imaculado, também da J. , mas que temo que tenha mais uma função decorativa/purificante.
  6. Tudo o que você; nunca quis saber sobe Yôga (e jamais teve a intenção de perguntar)”, Mestre De Rose. Mais uma vez perfumado e emprestado pela J., mas que decididamente está na lista de leituras próximas.

Nada. Não me apetece fazer absolutamente nada. Como se estivesse a tomar uma boa dosagem de Prozac para ficar pacato e preguiçoso. Castrado. Mas não estou a químicos, estou apenas a ressacar das diferenças de andamento e velocidade quotidianas. Espero demasiado das pequenas peripécias do momento, ainda sobre o vício da aventura constante e da adrenalina do desconhecido.

Apesar deste ócio auto-inflingido, da tentativa de descanso físico, esta minha vivência plena de contradições, bate continuamente em teclas desgarradas do navegar com terra a vista. Existem pelo menos dez itens mentais de atitudes e acções urgentes e banais que quero efectuar o mais rapidamente possível. São coisas triviais na sua maioria, mas outras são importantes degraus que se sobem na existência, passos fulcrais da vida. Falta-me contudo aquele fogo de executar a tarefa, de planear o acto, que infelizmente nunca me caracterizou. Por isso estou em conflito entre essa apatia indesejada e a vontade de romper as linhas inimigas para ganhar finalmente esta batalha prolongada.

Temo antes demais, que o argumentista desmiolado da minha parca vivência, tenha ficado sem imaginação, reduzido a um aborrecido writers block.
É verdade que desde o inicio deste ano, esse escritor tem-me dado um papel exigente, cheio de cenas rigorosas e tem aperfeiçoado constantemente a minha personagem a ponto de as minhas interpretações melhorarem sensivelmente. Sucederam-se cenas melodramáticas, grandes voltes de face do enredo, grandes momentos cénicos. Será que este argumentista será capaz de manter o seu estilo e manter todo o suspense deste romance policial francês? Ou será que vai entrar num cómodo e medíocre alongamento da estória, para lá de uma banalidade interminável como a horrenda novela do “Anjo Selvagem“?

Prefiro que esta crónica tenha um final à vista, do que se prolongue sem o clímax que se os últimos episódios tiveram.

Não percam as cenas dos próximos capítulos…